quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Levantamento de Preços de Combustível

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, realiza levantamento dos preços praticados nos postos do todo o país, e nos postos de Barretos-SP, fez o ultimo no período de 07 a 13/01/2018.

Conforme levantamento de preço, o valor médio do litro da gasolina apresentou um aumento de 1,07%, em relação ao ultimo preço apurado em 25/11/17, passando de R$ 4,126 para R$ 4,170.

Agora em comparação ao valor médio praticado na primeira quinzena de julho de 2017,   período de 09 a 15/07/2017, quando o valor praticado era de R$ 3,246, ocorreu uma variação de 28,46%.

Quanto ao etanol, neste levantamento o valor médio do litro do etanol sofreu um aumento de 3,78%, passando de R$ 2,748 para R$ 2,852, e em comparação a julho de 2017, no valor de R$ 2,160,  a variação foi de 31,98%.

O valor médio do litro do diesel apresentou uma pequena redução de 0,79%, passando de R$ 3,460 para R$ 3,433. Já em comparação a primeira quinzena de julho de 2017, a variação foi de 20,67%, de R$ 2,845 para R$ 3,433.

Aconselhamos o consumidor a pesquisar e analisar, já que muitos acabam criando uma fidelidade com determinado posto por confiar na qualidade do combustível e acaba deixando de lado o fator preço.

Outra dica importando para quem possui carro flex é poder escolher qual combustível será mais vantajoso para seu bolso. O uso do etanol é vantajoso se o litro custar até 70% do valor do litro da gasolina.

Isso ocorre porque motores abastecidos com etanol consomem 30% a mais em média, do que os abastecidos com gasolina.

Consumidores de todo o Brasil podem buscar os preços dos combustíveis no site da ANP http://www.anp.gov.br/preco/prc/Resumo_Por_Municipio_Index.asp ,  ao acessar o site basta o consumidor inserir o nome do município que deseja saber os preços, pressionar Enter, clicar em Processar, escolher o combustível desejado e clicar em Processar.



Fonte: Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

PESQUISA MATERIAL ESCOLAR – JANEIRO/18

O Centro de Estudos e Pesquisas Procon Barretos, realizou pesquisa comparativa de preços de material escolar, em cinco papelarias da cidade.

A pesquisa tem o objetivo de mostrar ao consumidor as diferenças de preços que podem ser encontradas, portanto deve fazer pesquisas e negociar formas de pagamento.

Com a finalidade de auxiliar os consumidores, em 2018 aumentamos o número de itens de produtos pesquisados de 31 para 46, portanto não temos parâmetro de 2017 para fazer a média de comparação dos preços, apenas iremos comparar os preços de alguns produtos.

- Caderno capa dura de 10 matérias: Em 2017 no menor preço, o valor de R$ 12,30 e neste ano por R$ 12,40, aumento de 0,81%;

- Caneta hidro cor de 12 cores: Em 2017 no menor preço, o valor de R$ 4,80 e neste ano por R$ 3,10, redução de 54,83%;

- Lápis de cor com 24 unidades: Não houve variação de preço, pode ser encontrado no menor preço no valor de R$ 8,75.

Nesta pesquisa de 2018, o produto que apresentou maior variação nos preços foi o Apontador de Lápis sem depósito, que pode ser encontrado por R$0,20 a R$ 2,80 (variação de 1300%) entre o menor e maior preço, essa variação ocorre muito devido à marca do produto e a qualidade.

Alguns produtos que apresentaram variação entre os estabelecimentos:

- Bloco p/ fichário com 4 furos colorida, da marca São Domingos  pode ser encontrado por R$ 7,00 até R$ 11,99, representando uma variação de 71,28%;

- Caderno de desenho espiral 48fls com seda, da marca São Domingos pode ser encontrado por R$ 5,70 até R$ 8,90, variação de 56%;

- Corretivo liquido, da marca Radex pode ser encontrado por R$ 1,58 até R$ 2,20, variação de 39,24%.

Portanto fica a dica, vale a pesquisa para economizar na compra do material escolar.

Além da pesquisa o órgão orienta o consumidor para ficar atento a lista exigida pelas escolas, muitas vezes exigem itens que não competem ao aluno comprar. As escolas somente podem exigir a compra de materiais de uso pedagógico.

No caso de qualquer problema com o material escolar, procure solucioná-lo junto ao fornecedor. Se não tiver solução, recorra a um órgão de defesa do consumidor de sua cidade.




segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

MANIFESTO CONTRA AS PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO NA LEI DE PLANOS DE SAÚDE

Está tramitando em Comissão Especial da Câmara dos Deputados, e relatado pelo Deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), o Projeto de Lei nº 7419/2006 que propõe a reforma da lei de planos de saúde.

A proposta representa retrocesso de direitos e conquistas dos consumidores da Saúde Suplementar, além de tornar o mercado menos regulado, atendendo a interesses das empresas do setor e fragilizando conquistas já consolidadas.

Nos posicionamos pela rejeição da proposta apresentada por entendermos que as mudanças prejudicam a sociedade brasileira. Entre as mudanças que causam retrocesso, destacamos: 

- ATENDIMENTO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
Hoje, a lei de planos de saúde garante o atendimento de urgência e emergência para todas as segmentações. A alteração proposta determina que somente os planos com segmentação hospitalar terão direito a esse tipo de atendimento.

Nesse cenário, o consumidor do plano ambulatorial ficará com um atendimento extremamente restrito, o que não representará efetivamente a segurança que se espera ao contratar um plano de saúde.

- ALTERAÇÃO NOS CRITÉRIOS DAS PENALIDADES
As sanções aplicadas pelo órgão regulador têm caráter pedagógico, visando desestimular a conduta praticada pela operadora. Logo ao se estabelecer parâmetros fechados de multa para toda e qualquer prática adotada pelo plano, tal mecanismo pode resultar no descumprimento da prestação de serviço de saúde.

A mudança contraria o anseio da sociedade que tem  cobrado uma postura efetiva por parte da Agência Nacional de Saúde, diante das reiteradas condutas de negativa de procedimentos, demora na marcação de consultas, diminuição da rede credenciada e descumprimento do rol de procedimentos por parte das operadoras.

- RESPEITO À SEGMENTAÇÃO CONTRATADA AFASTANDO-SE A APLICAÇÃO DO CDC.
Verificamos que ao longo do substitutivo, o respeito à segmentação é reiterado em diversos momentos, o que pode, em termos práticos, levar à redução da incidência do Código de Defesa do Consumidor na solução de conflitos envolvendo planos de saúde.

O que pretende é tornar o Rol de Procedimentos um rol taxativo, na contramão do atual entendimento jurisprudencial no qual a operadora deve custear o tratamento da doença, independentemente de a indicação médica constar ou não rol, sendo esse apenas indicativo.
Nesse cenário a operadora não será obrigada a conceder o tamanho mais adequado ao paciente, mas o tratamento que está previsto no rol, tornando esse o teto máximo de cobertura.

Contamos com a participação de todos, caso tenham interesse em assinar contra essas alterações, basta imprimir o arquivo em pdf que disponibilizamos no link abaixo e entregar com as assinaturas no endereço do PROCON na Avenida 15, numero 637 - Centro. 

Clique aqui para imprimir o manifesto e recolher as assinaturas.

Em caso de dúvida, entrar em contato no telefone (17) 3322-0444 ou por e-mail: procon.procon@barretos.sp.gov.br